dragão e tigre

Agência Pará
Agência Pará
pa.gov.br
Ferramenta de pesquisa
ÁREA DE GOVERNO
TAGS
REGIÕES
CONTEÚDO
PERÍODO
De
A
COMUNICAÇÃO

Curso superior, oficinas e atendimento especializado auxiliam na inclusão de surdos

Localidade: Diversas localidades
02/04/2018 16h08
">
Incluir pessoas com algum tipo de deficiência no cotidiano das cidades tem sido um desafio para todos os governos. No Pará não é diferente. Mas o governo do Estado tem atuado nas várias áreas e, mais especificamente, no que se refere a inclusão de pessoas surdas, por meio da formação de profissionais capacitados para atuar junto a esse público. Uma das primeiras medidas tomadas foi a mudança no curso de Letras/Libras ofertado pela Universidade do Estado do Pará (Uepa). A graduação até o ano de 2008 era apenas na modalidade à distância. A partir de 2012, passou a ser presencial, com oferta do curso no vestibular da instituição com 40 vagas. Na foto, Silvana Alves. FOTO: RODOLFO OLIVEIRA / AG. PARÁ DATA: 02.04.2018 BELÉM - PARÁ
Foto: Rodolfo Oliveira/Ag. Pará
">
Para quem tem interesse em aprender a Língua Brasileira de Sinais, mas não deseja fazer um curso universitário, o Estado oferece outra opção. A Casa da Linguagem, localizada no bairro de Nazaré, oferta todos os meses cursos para quem quer se comunicar por meio de Libras. FOTO: RODOLFO OLIVEIRA / AG. PARÁ DATA: 02.04.2018 BELÉM - PARÁ
Foto: Rodolfo Oliveira/Ag. Pará
">
Para quem tem interesse em aprender a Língua Brasileira de Sinais, mas não deseja fazer um curso universitário, o Estado oferece outra opção. A Casa da Linguagem, localizada no bairro de Nazaré, oferta todos os meses cursos para quem quer se comunicar por meio de Libras. FOTO: RODOLFO OLIVEIRA / AG. PARÁ DATA: 02.04.2018 BELÉM - PARÁ
Foto: Rodolfo Oliveira/Ag. Pará
">
Incluir pessoas com algum tipo de deficiência no cotidiano das cidades tem sido um desafio para todos os governos. No Pará não é diferente. Mas o governo do Estado tem atuado nas várias áreas e, mais especificamente, no que se refere a inclusão de pessoas surdas, por meio da formação de profissionais capacitados para atuar junto a esse público. Uma das primeiras medidas tomadas foi a mudança no curso de Letras/Libras ofertado pela Universidade do Estado do Pará (Uepa). A graduação até o ano de 2008 era apenas na modalidade à distância. A partir de 2012, passou a ser presencial, com oferta do curso no vestibular da instituição com 40 vagas. Na foto, Márcia Simone Silva. FOTO: RODOLFO OLIVEIRA / AG. PARÁ DATA: 02.04.2018 BELÉM - PARÁ
Foto: Rodolfo Oliveira/Ag. Pará
Para quem tem interesse em aprender a Língua Brasileira de Sinais, mas não deseja fazer um curso universitário, o Estado oferece outra opção. A Casa da Linguagem, localizada no bairro de Nazaré, oferta todos os meses cursos para quem quer se comunicar por meio de Libras. FOTO: RODOLFO OLIVEIRA / AG. PARÁ DATA: 02.04.2018 BELÉM - PARÁ <div class='credito_fotos' id=Foto: Rodolfo Oliveira/Ag. Pará   |   Download
">
Para quem tem interesse em aprender a Língua Brasileira de Sinais, mas não deseja fazer um curso universitário, o Estado oferece outra opção. A Casa da Linguagem, localizada no bairro de Nazaré, oferta todos os meses cursos para quem quer se comunicar por meio de Libras. FOTO: RODOLFO OLIVEIRA / AG. PARÁ DATA: 02.04.2018 BELÉM - PARÁ
Foto: Rodolfo Oliveira/Ag. Pará
Para quem tem interesse em aprender a Língua Brasileira de Sinais, mas não deseja fazer um curso universitário, o Estado oferece outra opção. A Casa da Linguagem, localizada no bairro de Nazaré, oferta todos os meses cursos para quem quer se comunicar por meio de Libras. Na foto, a professora do curso, Joana Rego. FOTO: RODOLFO OLIVEIRA / AG. PARÁ DATA: 02.04.2018 BELÉM - PARÁ <div class='credito_fotos' id=Foto: Rodolfo Oliveira/Ag. Pará   |   Download
">
Para quem tem interesse em aprender a Língua Brasileira de Sinais, mas não deseja fazer um curso universitário, o Estado oferece outra opção. A Casa da Linguagem, localizada no bairro de Nazaré, oferta todos os meses cursos para quem quer se comunicar por meio de Libras. Na foto, a professora do curso, Joana Rego. FOTO: RODOLFO OLIVEIRA / AG. PARÁ DATA: 02.04.2018 BELÉM - PARÁ
Foto: Rodolfo Oliveira/Ag. Pará
Incluir pessoas com algum tipo de deficiência no cotidiano das cidades tem sido um desafio para todos os governos. No Pará não é diferente. Mas o governo do Estado tem atuado nas várias áreas e, mais especificamente, no que se refere a inclusão de pessoas surdas, por meio da formação de profissionais capacitados para atuar junto a esse público. Uma das primeiras medidas tomadas foi a mudança no curso de Letras/Libras ofertado pela Universidade do Estado do Pará (Uepa). A graduação até o ano de 2008 era apenas na modalidade à distância. A partir de 2012, passou a ser presencial, com oferta do curso no vestibular da instituição com 40 vagas. FOTO: RODOLFO OLIVEIRA / AG. PARÁ DATA: 02.04.2018 BELÉM - PARÁ <div class='credito_fotos' id=Foto: Rodolfo Oliveira/Ag. Pará   |   Download
">
Incluir pessoas com algum tipo de deficiência no cotidiano das cidades tem sido um desafio para todos os governos. No Pará não é diferente. Mas o governo do Estado tem atuado nas várias áreas e, mais especificamente, no que se refere a inclusão de pessoas surdas, por meio da formação de profissionais capacitados para atuar junto a esse público. Uma das primeiras medidas tomadas foi a mudança no curso de Letras/Libras ofertado pela Universidade do Estado do Pará (Uepa). A graduação até o ano de 2008 era apenas na modalidade à distância. A partir de 2012, passou a ser presencial, com oferta do curso no vestibular da instituição com 40 vagas. FOTO: RODOLFO OLIVEIRA / AG. PARÁ DATA: 02.04.2018 BELÉM - PARÁ
Foto: Rodolfo Oliveira/Ag. Pará
Incluir pessoas com algum tipo de deficiência no cotidiano das cidades tem sido um desafio para todos os governos. No Pará não é diferente. Mas o governo do Estado tem atuado nas várias áreas e, mais especificamente, no que se refere a inclusão de pessoas surdas, por meio da formação de profissionais capacitados para atuar junto a esse público. Uma das primeiras medidas tomadas foi a mudança no curso de Letras/Libras ofertado pela Universidade do Estado do Pará (Uepa). A graduação até o ano de 2008 era apenas na modalidade à distância. A partir de 2012, passou a ser presencial, com oferta do curso no vestibular da instituição com 40 vagas. FOTO: RODOLFO OLIVEIRA / AG. PARÁ DATA: 02.04.2018 BELÉM - PARÁ <div class='credito_fotos' id=Foto: Rodolfo Oliveira/Ag. Pará   |   Download
">
Incluir pessoas com algum tipo de deficiência no cotidiano das cidades tem sido um desafio para todos os governos. No Pará não é diferente. Mas o governo do Estado tem atuado nas várias áreas e, mais especificamente, no que se refere a inclusão de pessoas surdas, por meio da formação de profissionais capacitados para atuar junto a esse público. Uma das primeiras medidas tomadas foi a mudança no curso de Letras/Libras ofertado pela Universidade do Estado do Pará (Uepa). A graduação até o ano de 2008 era apenas na modalidade à distância. A partir de 2012, passou a ser presencial, com oferta do curso no vestibular da instituição com 40 vagas. FOTO: RODOLFO OLIVEIRA / AG. PARÁ DATA: 02.04.2018 BELÉM - PARÁ
Foto: Rodolfo Oliveira/Ag. Pará
Incluir pessoas com algum tipo de deficiência no cotidiano das cidades tem sido um desafio para todos os governos. No Pará não é diferente. Mas o governo do Estado tem atuado nas várias áreas e, mais especificamente, no que se refere a inclusão de pessoas surdas, por meio da formação de profissionais capacitados para atuar junto a esse público. Uma das primeiras medidas tomadas foi a mudança no curso de Letras/Libras ofertado pela Universidade do Estado do Pará (Uepa). A graduação até o ano de 2008 era apenas na modalidade à distância. A partir de 2012, passou a ser presencial, com oferta do curso no vestibular da instituição com 40 vagas. Na foto, a coordenadora do curso, Raquel Gomes. FOTO: RODOLFO OLIVEIRA / AG. PARÁ DATA: 02.04.2018 BELÉM - PARÁ <div class='credito_fotos' id=Foto: Rodolfo Oliveira/Ag. Pará   |   Download
">
Incluir pessoas com algum tipo de deficiência no cotidiano das cidades tem sido um desafio para todos os governos. No Pará não é diferente. Mas o governo do Estado tem atuado nas várias áreas e, mais especificamente, no que se refere a inclusão de pessoas surdas, por meio da formação de profissionais capacitados para atuar junto a esse público. Uma das primeiras medidas tomadas foi a mudança no curso de Letras/Libras ofertado pela Universidade do Estado do Pará (Uepa). A graduação até o ano de 2008 era apenas na modalidade à distância. A partir de 2012, passou a ser presencial, com oferta do curso no vestibular da instituição com 40 vagas. Na foto, a coordenadora do curso, Raquel Gomes. FOTO: RODOLFO OLIVEIRA / AG. PARÁ DATA: 02.04.2018 BELÉM - PARÁ
Foto: Rodolfo Oliveira/Ag. Pará
Para quem tem interesse em aprender a Língua Brasileira de Sinais, mas não deseja fazer um curso universitário, o Estado oferece outra opção. A Casa da Linguagem, localizada no bairro de Nazaré, oferta todos os meses cursos para quem quer se comunicar por meio de Libras. FOTO: RODOLFO OLIVEIRA / AG. PARÁ DATA: 02.04.2018 BELÉM - PARÁ <div class='credito_fotos' id=Foto: Rodolfo Oliveira/Ag. Pará   |   Download
">
Para quem tem interesse em aprender a Língua Brasileira de Sinais, mas não deseja fazer um curso universitário, o Estado oferece outra opção. A Casa da Linguagem, localizada no bairro de Nazaré, oferta todos os meses cursos para quem quer se comunicar por meio de Libras. FOTO: RODOLFO OLIVEIRA / AG. PARÁ DATA: 02.04.2018 BELÉM - PARÁ
Foto: Rodolfo Oliveira/Ag. Pará
Incluir pessoas com algum tipo de deficiência no cotidiano das cidades tem sido um desafio para todos os governos. No Pará não é diferente. Mas o governo do Estado tem atuado nas várias áreas e, mais especificamente, no que se refere a inclusão de pessoas surdas, por meio da formação de profissionais capacitados para atuar junto a esse público. Uma das primeiras medidas tomadas foi a mudança no curso de Letras/Libras ofertado pela Universidade do Estado do Pará (Uepa). A graduação até o ano de 2008 era apenas na modalidade à distância. A partir de 2012, passou a ser presencial, com oferta do curso no vestibular da instituição com 40 vagas. Na foto (esq/dir), Silvana Alves e Márcia Simone Silva. FOTO: RODOLFO OLIVEIRA / AG. PARÁ DATA: 02.04.2018 BELÉM - PARÁ <div class='credito_fotos' id=Foto: Rodolfo Oliveira/Ag. Pará   |   Download
">
Incluir pessoas com algum tipo de deficiência no cotidiano das cidades tem sido um desafio para todos os governos. No Pará não é diferente. Mas o governo do Estado tem atuado nas várias áreas e, mais especificamente, no que se refere a inclusão de pessoas surdas, por meio da formação de profissionais capacitados para atuar junto a esse público. Uma das primeiras medidas tomadas foi a mudança no curso de Letras/Libras ofertado pela Universidade do Estado do Pará (Uepa). A graduação até o ano de 2008 era apenas na modalidade à distância. A partir de 2012, passou a ser presencial, com oferta do curso no vestibular da instituição com 40 vagas. Na foto (esq/dir), Silvana Alves e Márcia Simone Silva. FOTO: RODOLFO OLIVEIRA / AG. PARÁ DATA: 02.04.2018 BELÉM - PARÁ
Foto: Rodolfo Oliveira/Ag. Pará
Incluir pessoas com algum tipo de deficiência no cotidiano das cidades tem sido um desafio para todos os governos. No Pará não é diferente. Mas o governo do Estado tem atuado nas várias áreas e, mais especificamente, no que se refere a inclusão de pessoas surdas, por meio da formação de profissionais capacitados para atuar junto a esse público. Uma das primeiras medidas tomadas foi a mudança no curso de Letras/Libras ofertado pela Universidade do Estado do Pará (Uepa). A graduação até o ano de 2008 era apenas na modalidade à distância. A partir de 2012, passou a ser presencial, com oferta do curso no vestibular da instituição com 40 vagas. Na foto, Márcia Simone Silva. FOTO: RODOLFO OLIVEIRA / AG. PARÁ DATA: 02.04.2018 BELÉM - PARÁ <div class='credito_fotos' id=Foto: Rodolfo Oliveira/Ag. Pará   |   Download
">
Incluir pessoas com algum tipo de deficiência no cotidiano das cidades tem sido um desafio para todos os governos. No Pará não é diferente. Mas o governo do Estado tem atuado nas várias áreas e, mais especificamente, no que se refere a inclusão de pessoas surdas, por meio da formação de profissionais capacitados para atuar junto a esse público. Uma das primeiras medidas tomadas foi a mudança no curso de Letras/Libras ofertado pela Universidade do Estado do Pará (Uepa). A graduação até o ano de 2008 era apenas na modalidade à distância. A partir de 2012, passou a ser presencial, com oferta do curso no vestibular da instituição com 40 vagas. Na foto, Márcia Simone Silva. FOTO: RODOLFO OLIVEIRA / AG. PARÁ DATA: 02.04.2018 BELÉM - PARÁ
Foto: Rodolfo Oliveira/Ag. Pará
Incluir pessoas com algum tipo de deficiência no cotidiano das cidades tem sido um desafio para todos os governos. No Pará não é diferente. Mas o governo do Estado tem atuado nas várias áreas e, mais especificamente, no que se refere a inclusão de pessoas surdas, por meio da formação de profissionais capacitados para atuar junto a esse público. Uma das primeiras medidas tomadas foi a mudança no curso de Letras/Libras ofertado pela Universidade do Estado do Pará (Uepa). A graduação até o ano de 2008 era apenas na modalidade à distância. A partir de 2012, passou a ser presencial, com oferta do curso no vestibular da instituição com 40 vagas. Na foto, a coordenadora do curso, Raquel Gomes. FOTO: RODOLFO OLIVEIRA / AG. PARÁ DATA: 02.04.2018 BELÉM - PARÁ <div class='credito_fotos' id=Foto: Rodolfo Oliveira/Ag. Pará   |   Download
">
Incluir pessoas com algum tipo de deficiência no cotidiano das cidades tem sido um desafio para todos os governos. No Pará não é diferente. Mas o governo do Estado tem atuado nas várias áreas e, mais especificamente, no que se refere a inclusão de pessoas surdas, por meio da formação de profissionais capacitados para atuar junto a esse público. Uma das primeiras medidas tomadas foi a mudança no curso de Letras/Libras ofertado pela Universidade do Estado do Pará (Uepa). A graduação até o ano de 2008 era apenas na modalidade à distância. A partir de 2012, passou a ser presencial, com oferta do curso no vestibular da instituição com 40 vagas. Na foto, a coordenadora do curso, Raquel Gomes. FOTO: RODOLFO OLIVEIRA / AG. PARÁ DATA: 02.04.2018 BELÉM - PARÁ
Foto: Rodolfo Oliveira/Ag. Pará
Incluir pessoas com algum tipo de deficiência no cotidiano das cidades tem sido um desafio para todos os governos. No Pará não é diferente. Mas o governo do Estado tem atuado nas várias áreas e, mais especificamente, no que se refere a inclusão de pessoas surdas, por meio da formação de profissionais capacitados para atuar junto a esse público. Uma das primeiras medidas tomadas foi a mudança no curso de Letras/Libras ofertado pela Universidade do Estado do Pará (Uepa). A graduação até o ano de 2008 era apenas na modalidade à distância. A partir de 2012, passou a ser presencial, com oferta do curso no vestibular da instituição com 40 vagas. Na foto, Silvana Alves. FOTO: RODOLFO OLIVEIRA / AG. PARÁ DATA: 02.04.2018 BELÉM - PARÁ <div class='credito_fotos' id=Foto: Rodolfo Oliveira/Ag. Pará   |   Download
">
Incluir pessoas com algum tipo de deficiência no cotidiano das cidades tem sido um desafio para todos os governos. No Pará não é diferente. Mas o governo do Estado tem atuado nas várias áreas e, mais especificamente, no que se refere a inclusão de pessoas surdas, por meio da formação de profissionais capacitados para atuar junto a esse público. Uma das primeiras medidas tomadas foi a mudança no curso de Letras/Libras ofertado pela Universidade do Estado do Pará (Uepa). A graduação até o ano de 2008 era apenas na modalidade à distância. A partir de 2012, passou a ser presencial, com oferta do curso no vestibular da instituição com 40 vagas. Na foto, Silvana Alves. FOTO: RODOLFO OLIVEIRA / AG. PARÁ DATA: 02.04.2018 BELÉM - PARÁ
Foto: Rodolfo Oliveira/Ag. Pará
Para quem tem interesse em aprender a Língua Brasileira de Sinais, mas não deseja fazer um curso universitário, o Estado oferece outra opção. A Casa da Linguagem, localizada no bairro de Nazaré, oferta todos os meses cursos para quem quer se comunicar por meio de Libras. FOTO: RODOLFO OLIVEIRA / AG. PARÁ DATA: 02.04.2018 BELÉM - PARÁ <div class='credito_fotos' id=Foto: Rodolfo Oliveira/Ag. Pará   |   Download
">
Para quem tem interesse em aprender a Língua Brasileira de Sinais, mas não deseja fazer um curso universitário, o Estado oferece outra opção. A Casa da Linguagem, localizada no bairro de Nazaré, oferta todos os meses cursos para quem quer se comunicar por meio de Libras. FOTO: RODOLFO OLIVEIRA / AG. PARÁ DATA: 02.04.2018 BELÉM - PARÁ
Foto: Rodolfo Oliveira/Ag. Pará
Incluir pessoas com algum tipo de deficiência no cotidiano das cidades tem sido um desafio para todos os governos. No Pará não é diferente. Mas o governo do Estado tem atuado nas várias áreas e, mais especificamente, no que se refere a inclusão de pessoas surdas, por meio da formação de profissionais capacitados para atuar junto a esse público. Uma das primeiras medidas tomadas foi a mudança no curso de Letras/Libras ofertado pela Universidade do Estado do Pará (Uepa). A graduação até o ano de 2008 era apenas na modalidade à distância. A partir de 2012, passou a ser presencial, com oferta do curso no vestibular da instituição com 40 vagas. FOTO: RODOLFO OLIVEIRA / AG. PARÁ DATA: 02.04.2018 BELÉM - PARÁ <div class='credito_fotos' id=Foto: Rodolfo Oliveira/Ag. Pará   |   Download
">
Incluir pessoas com algum tipo de deficiência no cotidiano das cidades tem sido um desafio para todos os governos. No Pará não é diferente. Mas o governo do Estado tem atuado nas várias áreas e, mais especificamente, no que se refere a inclusão de pessoas surdas, por meio da formação de profissionais capacitados para atuar junto a esse público. Uma das primeiras medidas tomadas foi a mudança no curso de Letras/Libras ofertado pela Universidade do Estado do Pará (Uepa). A graduação até o ano de 2008 era apenas na modalidade à distância. A partir de 2012, passou a ser presencial, com oferta do curso no vestibular da instituição com 40 vagas. FOTO: RODOLFO OLIVEIRA / AG. PARÁ DATA: 02.04.2018 BELÉM - PARÁ
Foto: Rodolfo Oliveira/Ag. Pará
Para quem tem interesse em aprender a Língua Brasileira de Sinais, mas não deseja fazer um curso universitário, o Estado oferece outra opção. A Casa da Linguagem, localizada no bairro de Nazaré, oferta todos os meses cursos para quem quer se comunicar por meio de Libras. FOTO: RODOLFO OLIVEIRA / AG. PARÁ DATA: 02.04.2018 BELÉM - PARÁ <div class='credito_fotos' id=Foto: Rodolfo Oliveira/Ag. Pará   |   Download
">
Para quem tem interesse em aprender a Língua Brasileira de Sinais, mas não deseja fazer um curso universitário, o Estado oferece outra opção. A Casa da Linguagem, localizada no bairro de Nazaré, oferta todos os meses cursos para quem quer se comunicar por meio de Libras. FOTO: RODOLFO OLIVEIRA / AG. PARÁ DATA: 02.04.2018 BELÉM - PARÁ
Foto: Rodolfo Oliveira/Ag. Pará
Para quem tem interesse em aprender a Língua Brasileira de Sinais, mas não deseja fazer um curso universitário, o Estado oferece outra opção. A Casa da Linguagem, localizada no bairro de Nazaré, oferta todos os meses cursos para quem quer se comunicar por meio de Libras. FOTO: RODOLFO OLIVEIRA / AG. PARÁ DATA: 02.04.2018 BELÉM - PARÁ <div class='credito_fotos' id=Foto: Rodolfo Oliveira/Ag. Pará   |   Download
">
Para quem tem interesse em aprender a Língua Brasileira de Sinais, mas não deseja fazer um curso universitário, o Estado oferece outra opção. A Casa da Linguagem, localizada no bairro de Nazaré, oferta todos os meses cursos para quem quer se comunicar por meio de Libras. FOTO: RODOLFO OLIVEIRA / AG. PARÁ DATA: 02.04.2018 BELÉM - PARÁ
Foto: Rodolfo Oliveira/Ag. Pará
Para quem tem interesse em aprender a Língua Brasileira de Sinais, mas não deseja fazer um curso universitário, o Estado oferece outra opção. A Casa da Linguagem, localizada no bairro de Nazaré, oferta todos os meses cursos para quem quer se comunicar por meio de Libras. Na foto, a professora do curso, Joana Rego. FOTO: RODOLFO OLIVEIRA / AG. PARÁ DATA: 02.04.2018 BELÉM - PARÁ <div class='credito_fotos' id=Foto: Rodolfo Oliveira/Ag. Pará   |   Download
">
Para quem tem interesse em aprender a Língua Brasileira de Sinais, mas não deseja fazer um curso universitário, o Estado oferece outra opção. A Casa da Linguagem, localizada no bairro de Nazaré, oferta todos os meses cursos para quem quer se comunicar por meio de Libras. Na foto, a professora do curso, Joana Rego. FOTO: RODOLFO OLIVEIRA / AG. PARÁ DATA: 02.04.2018 BELÉM - PARÁ
Foto: Rodolfo Oliveira/Ag. Pará
Incluir pessoas com algum tipo de deficiência no cotidiano das cidades tem sido um desafio para todos os governos. No Pará não é diferente. Mas o governo do Estado tem atuado nas várias áreas e, mais especificamente, no que se refere a inclusão de pessoas surdas, por meio da formação de profissionais capacitados para atuar junto a esse público. Uma das primeiras medidas tomadas foi a mudança no curso de Letras/Libras ofertado pela Universidade do Estado do Pará (Uepa). A graduação até o ano de 2008 era apenas na modalidade à distância. A partir de 2012, passou a ser presencial, com oferta do curso no vestibular da instituição com 40 vagas. FOTO: RODOLFO OLIVEIRA / AG. PARÁ DATA: 02.04.2018 BELÉM - PARÁ <div class='credito_fotos' id=Foto: Rodolfo Oliveira/Ag. Pará   |   Download
">
Incluir pessoas com algum tipo de deficiência no cotidiano das cidades tem sido um desafio para todos os governos. No Pará não é diferente. Mas o governo do Estado tem atuado nas várias áreas e, mais especificamente, no que se refere a inclusão de pessoas surdas, por meio da formação de profissionais capacitados para atuar junto a esse público. Uma das primeiras medidas tomadas foi a mudança no curso de Letras/Libras ofertado pela Universidade do Estado do Pará (Uepa). A graduação até o ano de 2008 era apenas na modalidade à distância. A partir de 2012, passou a ser presencial, com oferta do curso no vestibular da instituição com 40 vagas. FOTO: RODOLFO OLIVEIRA / AG. PARÁ DATA: 02.04.2018 BELÉM - PARÁ
Foto: Rodolfo Oliveira/Ag. Pará
Incluir pessoas com algum tipo de deficiência no cotidiano das cidades tem sido um desafio para todos os governos. No Pará não é diferente. Mas o governo do Estado tem atuado nas várias áreas e, mais especificamente, no que se refere a inclusão de pessoas surdas, por meio da formação de profissionais capacitados para atuar junto a esse público. Uma das primeiras medidas tomadas foi a mudança no curso de Letras/Libras ofertado pela Universidade do Estado do Pará (Uepa). A graduação até o ano de 2008 era apenas na modalidade à distância. A partir de 2012, passou a ser presencial, com oferta do curso no vestibular da instituição com 40 vagas. Na foto, Ozivan dos Santos. FOTO: RODOLFO OLIVEIRA / AG. PARÁ DATA: 02.04.2018 BELÉM - PARÁ <div class='credito_fotos' id=Foto: Rodolfo Oliveira/Ag. Pará   |   Download
">
Incluir pessoas com algum tipo de deficiência no cotidiano das cidades tem sido um desafio para todos os governos. No Pará não é diferente. Mas o governo do Estado tem atuado nas várias áreas e, mais especificamente, no que se refere a inclusão de pessoas surdas, por meio da formação de profissionais capacitados para atuar junto a esse público. Uma das primeiras medidas tomadas foi a mudança no curso de Letras/Libras ofertado pela Universidade do Estado do Pará (Uepa). A graduação até o ano de 2008 era apenas na modalidade à distância. A partir de 2012, passou a ser presencial, com oferta do curso no vestibular da instituição com 40 vagas. Na foto, Ozivan dos Santos. FOTO: RODOLFO OLIVEIRA / AG. PARÁ DATA: 02.04.2018 BELÉM - PARÁ
Foto: Rodolfo Oliveira/Ag. Pará
mais galerias de fotos
dragão e tigre Mapa do site