btfr.co

Agência Pará
Agência Pará
pa.gov.br
Ferramenta de pesquisa
ÁREA DE GOVERNO
TAGS
REGIÕES
CONTEÚDO
PERÍODO
De
A
SAÚDE

Sespa orienta sobre o Dia D da campanha contra a gripe

Por Redação - Agência PA (SECOM)
08/05/2015 14h47

Acontece neste sábado, 9, em todo o país, o Dia D da 17ª Campanha Nacional de Vacinação Contra a Gripe, que traz como tema “Contra a gripe, seu escudo é a vacinação”. Para a ação, em vigor desde o dia 4 de maio, o Ministério da Saúde disponibilizou ao Pará 1,7 milhão de doses, que protegerão a população contra os três subtipos do vírus da gripe determinados pela Organização Mundial de Saúde para este ano: A/H1N1, A/H3N2 e influenza B.

Em informe técnico, a Divisão de Imunizações da Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa) informa que o público-alvo da campanha no Pará soma 1.699.228 pessoas, entre crianças de seis meses a menores de cinco anos; pessoas com 60 anos ou mais; trabalhadores da saúde; povos indígenas; gestantes; puérperas (mulheres até 45 dias após o parto); população privada de liberdade e os funcionários do sistema prisional. A meta é vacinar 80% dessa população.

Também podem ser vacinadas pessoas portadoras de doenças crônicas não-transmissíveis ou com outras condições clínicas especiais. A definição dos grupos prioritários segue a recomendação da OMS, além de ser respaldada por estudos epidemiológicos e pela observação do comportamento das infecções respiratórias, cujo principal agente são os vírus da gripe. São priorizados os grupos mais suscetíveis ao agravamento de doenças respiratórias. A vacina é segura e pode reduzir em 45% o número de internações por pneumonias e em até 75% a mortalidade por complicações da gripe.

Para receber a dose, o doente crônico deverá comprovar que tem direito à vacina apresentando prescrição médica de indicação da dose ou receita do medicamento de uso contínuo utilizado em seu tratamento. Caso o paciente não tenha nenhum desses documentos, a orientação é que ele vá à unidade onde recebe tratamento e solicite ao profissional de saúde que verifique seu cadastro nos programas de acompanhamento do Sistema Único de Saúde.

Trabalhadores de saúde receberão a vacina nos locais onde atuam. A dose será ofertada apenas para os profissionais que atendem pessoas com suspeita de gripe. Para este grupo, será exigido um documento assinado pelo médico responsável pelo serviço a que o trabalhador está vinculado.

Logística

Foram enviadas pelo Ministério da Saúde ao Pará 1.694.088 milhões de doses da vacina. No Estado, serão 3.666 postos de vacinação, dos quais 3.306 serão fixos, 360 volantes e 74 volantes fluviais, com 22.380 pessoas envolvidas, incluindo 3.666 equipes de vacinação. Além de 822 carros, também estarão disponíveis para a execução 32 barcos, 18 voadeiras, três cavalos e dois búfalos.

O chamado Dia D, que ocorrerá neste sábado, 9 de maio, corresponderá a uma mobilização nacional que será executada pelas secretarias municipais de Saúde, que disponibilizarão as doses nas Unidades Básicas e em outros locais que estarão abertos especialmente para a ocasião, definidos como postos volantes, a exemplo dos centros comunitários, salões paroquiais, estandes em shoppings e supermercados e coretos de praças.

Como orientadora da Campanha, a Sespa recomenda que os profissionais das secretarias municipais de Saúde estejam empanhados em convencer a população pela adesão à campanha, pois a vacina concede imunidade após 15 dias da aplicação. Nesse caso, as grávidas são um desafio à parte, já que formam um grupo mais receoso e resistente à campanha. “Não há perigo. Pode se imunizar em qualquer período gestacional”, recomenda Jaíra Ataíde, coordenadora estadual do Programa de Imunizações, ao lembrar que a vacina só é contraindicada para pessoas com história de reação anafilática prévia em doses anteriores ou que tenham alergia grave relacionada a ovo de galinha e seus derivados.

Práticas de higiene

Além da vacina, durante a campanha os órgãos de saúde intensificarão as orientações de higiene que deveriam ser mantidas a rigor pela população para uma melhor prevenção das síndromes respiratórias, como manter janelas abertas e ambientes arejados, assim como lavar as mãos, já que a transmissão dos vírus Influenza acontece por meio do contato com secreções das vias respiratórias, eliminadas pela pessoa contaminada ao falar, tossir ou espirrar. Também ocorre por meio das mãos e objetos contaminados, quando entram em contato com mucosas (boca, olhos, nariz).

Os sintomas da gripe são febre, tosse ou dor na garganta, além de outros como dor de cabeça, dor muscular e nas articulações. Já o agravamento pode ser identificado por falta de ar, febre por mais de três dias, piora de sintomas gastrointestinais, dor muscular intensa e prostração. Diante desse cenário é bom procurar um serviço de saúde, seja uma unidade básica ou o hospital credenciado ao plano de saúde do paciente o mais rápido possível.

Conforme as recomendações do Ministério da Saúde, a vacina contra a gripe não é capaz de eliminar a doença ou impedir a circulação do vírus. Por isso, as medidas de prevenção são muito importantes, particularmente durante o período de maior circulação viral, entre os meses de junho e agosto. Convém lembrar ainda que, mesmo pessoas vacinadas, ao apresentarem os sintomas da gripe - especialmente se são integrantes de grupos mais vulneráveis às complicações - devem procurar atendimento médico imediatamente.

btfr.co Mapa do site